Capítulo Dezessete: Distinção de Benefícios

Nessa altura, quando a grande assembleia ouviu o Buddha contar como a sua vida durou um tão grande número de kalpas, imensuráveis, ilimitadas ashamkyas de seres viventes obtiveram uma grande variedade de benefícios.

Nessa altura, o Honrado Pelo Mundo disse ao bodhisattva e mahasattva Maitreya: “Ajita, quando eu descrevi como a vida do Tathagata dura por tal longuíssimo tempo, seres viventes numerosos como as areias de seiscentos e oitenta dezenas de milhares, milhões, nayutas de Ganges alcançaram a verdade do não-nascimento. Bodhisattvas e mahasattvas mil vezes mais numerosos obtiveram o ensinamento do dharani que lhes permite reterem tudo quanto ouçam. Bodhisattvas e mahasattvas numerosos como as partículas de pó de um mundo obtiveram a eloquência que lhes permite falar agradavelmente e sem impedimentos. Bodhisattvas e mahasattvas numerosos como as partículas de pó de um mundo obtiveram dharanis que lhes permitem memorizar centenas, milhares, dezenas de milhares, milhões, imensuráveis repetições dos ensinamentos. Bodhisattvas e mahasattvas numerosos como as partículas de pó de um universo foram capazes de fazer girar a irregressível roda da Lei. Bodhisattvas e mahasattvas numerosos como as partículas de pó de duzentas terras de tamanho médio foram capazes de fazer girar a pura roda da Lei. Bodhisattvas e mahasattvas numerosos como as partículas de pó de cem pequenas terras tiveram a garantia de que alcançariam annutara-samyak-sambodhi ao fim de oito renascimentos. Bodhisattvas e mahasattvas numerosos como as partículas de pó de quatro mundos tetracontinentais tiveram a garantia de que alcançariam annutara-samyak-sambodhi ao fim de quatro renascimentos. Bodhisattvas e mahasattvas numerosos como as partículas de pó de três mundos tetracontinentais tiveram a garantia de que alcançariam annutara-samyak-sambodhi ao fim de dois renascimentos. Bodhisattvas e mahasattvas numerosos como as partículas de pó de dois mundos tetracontinentais tiveram a garantia de que alcançariam annutara-samyak-sambodhi ao fim de dois renascimentos. Bodhisattvas e mahasattvas numerosos como as partículas de pó de um mundo tetracontinental tiveram a garantia de que alcançariam annutara-samyak-sambodhi ao fim de um renascimento. Seres viventes numerosos como as partículas de pó de oito mundos foram levados a estabelecer as suas mentes em anuttara-samyak-sambodhi.

Quando o Buddha anunciou que estes bodhisattvas e mahasattvas tinham obtido os grandes benefícios da Lei, do ar choveram flores de mandarava e grandes flores de mandarava, espalhando-se sobre imensuráveis centenas, milhares, dezenas de milhar, milhões de Buddhas que estavam sentados em tronos de leão sob as árvores de jóias, e espalharam-se também sobre o Buddha Shakyamuni e sobre o Tathagata Muitos Tesouros, que há muito entrou em extinção, ambos sentados em tronos de leão na torre de sete tesouros. Espalharam-se também sobre todos os grandes bodhisattvas e sobre os quatro tipos de crentes. Além disso, choveu um pó fino de sândalo e aloés e em pleno ar soaram tambores celestiais com notas maravilhosas, profundas e de grande alcance. Choveu também uma grande variedade de mantos celestiais, engalanados com fiadas de pérolas e de várias jóias, espalhando-se por toda a parte pelas dez direcções. Em incensórios encrustados de jóias ardiam incensos preciosos, a sua fragrância espalhando-se por toda a parte como uma dádiva à grande assembleia. Sobre cada um dos Buddhas apareceram bodhisattvas segurando estandartes e dosséis, em fileiras que chegavam até ao paraíso de Brahma. Esses bodhisattvas empregavam as suas maravilhosas vozes cantando imensuráveis hinos de louvor aos Buddhas.

Nessa altura o bodhisattva Maitreya levantou-se do seu lugar, descobriu o ombro direito, juntou as palmas das suas mãos e, virando-se para o Buddha falou em verso, dizendo:

O Buddha prega uma Lei rara,
nunca antes ouvida.
O Honrado Pelo Mundo possui grandes poderes
e a duração da sua vida não pode ser medida.
Os incontáveis filhos de Buddha
ouvindo o Honrado Pelo Mundo fazer distinções
e descrever os benefícios da Lei que irão alcançar,
vêm os seus corpos repletos de alegria.
Uns residem no estado de não regressão,
outros obtiveram dharanis,
outros ainda podem falar agradavelmente e sem impedimentos
ou reter dezenas de milhar,
milhões de repetições dos ensinamentos.
Alguns bodhisattvas
numerosos como as partículas de pó
de um milhar de grandes mundos
são capazes de fazer girar a roda irreversível da Lei.
Alguns bodhisattvas
numerosos como as partículas de pó
de um milhar de mundos médios
são capazes de fazer girar a pura roda da Lei.
Alguns bodhisattvas
numerosos como as partículas de pó
de um milhar de pequenos mundos
têm a garantia de que após mais oito renascimentos
estarão aptos a completar a via do Buddhado.
Alguns bodhisattvas
numerosos como as partículas de pó
de quatro, três, duas vezes os quatro continentes
alcançarão a sabedoria após mais um renascimento.
Então, quando os seres viventes ouviram
a grande duração da vida do Buddha,
obtiveram puros frutos e recompensas
imensuráveis e livres de falhas.
Além disso, seres viventes numerosos
como as partículas de pó de oito mundos,
ouvindo o Buddha descrever a duração da sua vida,
estabeleceram as suas mentes na via insuperável.
O Honrado Pelo Mundo prega a Lei
que é imensurável e não pode ser concebida
e os que disso beneficiam são muitos,
ilimitados como o espaço aberto.
Choveram flores celestiais de mandarava
e grandes flores de mandarava;
Shakyas e Brahmas, incontáveis como as areias do Ganges,
chegaram de inumeráveis terras Búddhicas.
Choveu uma fina poeira de sândalo e aloés;
como pássaros voando no céu
espalharam-se como oferenda sobre os Buddhas.
Em pleno ar tambores celestiais
emitiram maravilhosos sons;
Mantos celestiais aos milhares,
dezenas de milhar, milhões,
desceram esvoaçantes;
incensórios maravilhosos incrustados de jóias
queimaram preciosos incensos
que se espalharam por toda a parte,
como oferenda a todos os Honrados Pelo Mundo.
A multidão de grandes bodhisattvas
segurou estandartes e dosséis
adornados com os sete tesouros,
em dezenas de milhar, milhões de variedades,
altivos, maravilhosos,
em fileiras que chegavam ao paraíso Brahma.
Perante cada um dos Buddhas
pendiam estandartes decorados com jóias e magnificas bandeiras,
enquanto em milhares, dezenas de milhares de versos
os louvores ao Honrado Pelo Mundo eram entoados.
Todas estas muitas coisas
nunca foram conhecidas no passado.
Ouvindo dizer que a duração da vida do Buddha é imensurável,
todos os seres se encheram de alegria.
O nome de Buddha é ouvido pelas dez direcções,
beneficiando largamente os seres viventes,
e todos foram dotados de boas raízes
para ajudar a estabelecer as suas mentes na via insuperável.

Nessa altura o Buddha disse ao bodhisattva e mahasattva Maitreya: Ajita, se existirem seres viventes que, ao ouvirem que a duração da vida do Buddha é tão longa, forem capazes de acreditar e compreender, ainda que um momento, os benefícios que eles alcançarão serão sem limite ou medida. Supõe que existem bons homens ou boas mulheres que, em prol de anuttara-samyak-sambodhi, durante um período de oitocentos milhões de nayutas de kalpas pratica os cinco paramitas – os paramitas de dana (generosidade), shila (observância dos preceitos), kshanti (tolerância), virya (perseverança) e dhyana (meditação), estando omisso o paramita de prajna (sabedoria) – os benefícios alcançados desta forma seriam uma centésima parte, uma milésima parte, uma multiquadrilionésima parte dos benefícios mencionados previamente. De facto, está para além do poder de cálculo, metáfora ou parábola a definição dessa comparação. Para esses bons homens que alcançaram tais benefícios previamente mencionados, regredir sem alcançar anuttara-samyak-sambodhi é completamente inconcebível.”

Nessa altura, o Honrado Pelo Mundo, desejando expor uma vez mais o sentido das suas palavras, falou em verso, dizendo:

Se alguém em busca da sabedoria Búddhica
por um período de oitocentos mil milhões de nayutas de kalpas
praticar os cinco paramitas,
durante todos esses kalpas
distribuindo ofertas de esmolas aos Buddhas,
aos pratyekabuddhas e discípulos,
e à multidão de bodhisattvas,
iguarias raras, ricos artigos de enxoval e peças de vestuário,
construindo mosteiros de sândalo
adornados com jardins e bosques,
se ele distribuir esmolas de muitas variedades,
todas elas refinadas e maravilhosas,
e repetir isto por todos esses kalpas
para exprimir a sua devoção ao caminho do Buddhado;
e se além disso ele cumprir os preceitos,
com pureza e sem omissão ou falha,
procurando a via insuperável, louvada pelos Buddhas;
e se ele praticar a tolerância,
permanecendo numa posição submissa e dócil,
mesmo quando assolado por vários males,
não se deixando agitar ou influenciar quando outros,
convencidos de que alcançaram a Lei
se entregarem a pensamentos arrogantes,
tratando-o com desprezo e vexando-o,
se ele suportar isso com paciência;
e se ele for diligente e perseverante,
sempre firme de intenção e pensamento,
concentrado durante imensuráveis milhões de kalpas,
nunca negligente ou descuidado,
residindo num lugar deserto e socegado por kalpas incontáveis;
e se ele praticar exercícios sentado ou em andamento,
eliminando a sonolência,
regulando constantemente a sua mente,
e em resultado dessas acções
for capaz de produzir estados meditativos,
permanecendo calmo durante oitenta dezenas de milhares de milhões de kalpas,
a sua mente sempre clara e sem confusão;
e se ele, com base nas bênçãos desta concentração
procurar a via insuperável, dizendo,
“Eu alcançarei a sabedoria e esgotarei todos os estados de meditação!”;
se esta pessoa levar a cabo as práticas acima descritas
durante cem, mil, dez mil, um milhão de kalpas,
as bênçãos obtidas desta forma
serão ainda assim menores
do que as dos bons homens e boas mulheres
que me ouçam descrever a duração da minha vida
e acreditem ainda que por um momento.
Se uma pessoa é completamente livre
de quaisquer dúvidas ou hesitações,
se no fundo da sua mente acreditar por um instante,
as suas bênçãos serão como disse.
Estes bodhisattvas que praticaram a via
durante imensuráveis kalpas,
quando me ouvem descrever a duração da minha vida
são capazes de acreditar e aceitar o que eu digo.
Estas pessoas aceitarão este sutra com gratidão, dizendo,
“O nosso desejo é que em eras futuras
possamos usar as nossas longas vidas
para salvar os seres viventes.
Tal como hoje o Honrado Pelo Mundo, rei dos Shakyas,
ruge como um leão no lugar da prática,
pregando sem medo a Lei,
possamos nós também em eras vindouras,
honrados e venerados por todos,
quando nos sentarmos no lugar da prática,
descrever a duração da nossa vida da mesma forma.”
Se existir alguém, de mente profunda,
puro, honesto e recto,
que ouvindo muito, possa reter tudo,
compreendendo as palavras do Buddha,
essa pessoa não terá dúvidas [acerca da duração da minha vida].

“Além disso, Ajita, se existir alguém que, ouvindo acerca da longa duração da vida do Tathagata, possa entender o alcance dessas palavras, os benefícios que essa pessoa alcança serão sem limite ou medida, capazes de despertar nele a sabedoria insuperável do Tathagata. Quanto mais se, então, a pessoa escuta largamente este sutra ou faz com que outros o escutem, o abraça ou leva outros a abraçá-lo, o copia ou faz com que outros o copiem, ou apresenta flores, incenso, colares, estandartes, bandeiras, dosséis de seda, óleos fragrantes ou lamparinas de óleo de manteiga como oferendas aos rolos do sutra. Os benefícios de uma tal pessoa serão imensuráveis, ilimitados, capazes de inspirar nele a sabedoria que abarca todas as espécies.

“Ajita, se bons homens ou boas mulheres, ouvindo-me descrever a grande duração da minha vida, no fundo das suas mentes acreditarem e compreenderem, verão então o Buddha residindo constantemente no Monte Gridhakuta, com os grandes bodhisattvas e a multidão de ouvintes rodeando-o enquanto prega a Lei. Verão também este mundo Saha, o seu chão de lápiz-lázuli nivelado e bem ordenado, o ouro Jambunava bordejando as suas oito avenidas, os renques de árvores cravejadas de jóias, os terraços, torres e observatórios todos feitos de jóias, e toda a multidão de bodhisattvas que aí vive. Se existir alguém capaz de ver tais coisas, deveis saber que isso é um sinal da sua fé e compreensão profundas.

“Além disso, se após o Tathagata entrar em extinção existir alguém que ouça este sutra e não o calunie ou insulte mas mostre profunda fé e compreensão e ainda mais no caso de alguém que leia, recite e abrace este sutra, essas pessoas estão na verdade a receber o Tathagata na coroa de suas cabeças.

“Ajita, estes bons homens e boas mulheres não precisam de em meu nome erigir torres e templos ou construir aposentos de monges ou fazer os quatro tipos de oferendas à comunidade de monges. Porquê? Porque estes bons homens e boas mulheres, ao receberem, abraçarem, lerem e recitarem este sutra, erigiram já torres, construíram os aposentos de monges e deram ofertas de esmolas à comunidade de monges. Deve considerar-se que eles erigiram torres adornadas com os sete tesouros para as relíquias do Buddha, largas na base e finas no topo, chegando ao paraíso de Brahma engalanadas de bandeiras, dosséis e uma miriade de sinos de jóias, com flores, incenso em pó ou em pasta, colares, muitos tipos de tambores e vários tipos de danças e diversões, com maravilhosas vozes que cantam e entoam hinos de louvor. É como se tivessem já oferecido esmolas durante imensuráveis milhares, dezenas de milhar, milhões de kalpas.

“Ajita, se após eu ter entrado em extinção existir quem ouça este sutra e possa aceitá-lo e promovê-lo, copiando-o ou fazendo outros copiá-lo, então deve ser considerado que erigiram já aposentos de monges, ou usaram sândalo vermelho para construir trinta e dois salões, altos como árvores tala, elevados, espaçosos e belamente adornados para acomodarem centenas de milhares de monges. Jardins, parques, tanques, lagos, pátios de recreio, caves para meditação, vestuário, comida, bebida, camas, tapetes, remédios e todo o tipo de utensílios para o seu conforto, e esses aposentos de monges e salões contam-se em centenas, milhares, dezenas de milhar, milhões, e são na verdade imensuráveis em número. Tudo isto é apresentado perante mim como oferta de esmolas para mim e para a comunidade de monges.

“Assim eu digo, se após o Tathagata se extinguir existir alguém que aceite, promova, leia e recite este sutra ou o pregue para outros, que o copie ou faça com que outros o copiem, ou que ofereça esmolas aos rolos do sutra, então não necessitam erigir torres ou templos nem construir aposentos para monges ou oferecer esmolas à comunidade de monges. E muito mais é isto verdade para aqueles que forem capazes de abraçar este sutra e ao mesmo tempo de oferecer esmolas, manter os preceitos, praticar a tolerância e a diligência, a concentração e a sabedoria! As suas virtudes são superiores, imensuráveis e ilimitadas, tal como o céu aberto, nas direcções Este, Oeste, Norte e Sul, nas quatro direcções intermédias, acima e abaixo, é imensurável e ilimitado. As bênçãos dessa pessoa serão igualmente imensuráveis e ilimitadas, e ela atingirá rapidamente a sabedoria que abarca todas as espécies.

“Se uma pessoa lê, recita, aceita e promove este sutra ou o prega para outros; se o copia ou faz com que outros o copiem; e se pode erigir torres, construir aposentos para monges, oferecer esmolas e louvores à comunidade de ouvintes; se pode empregar centenas, milhares, dezenas de milhar, milhões de modos de louvor para louvar os méritos dos bodhisattvas; e se pelo bem de outros ele emprega várias causas e condições, de acordo com a regra, para explicar este Sutra do Lótus; e se observa os preceitos com pureza, procura a companhia dos que são brandos e pacíficos, é tolerante e sem raiva, firme de intenção e pensamento, favorecendo constantemente a prática da meditação sentada, atinge vários estados meditativos profundos, dominando todas as boas doutrinas, apurado nas faculdades e na sabedoria, bom a responder a perguntas difíceis – Ajita, se após eu entrar em extinção existirem bons homens e boas mulheres que aceitem, promovam, leiam e recitem este sutra e tenham bons méritos como estes, deves saber que eles prosseguiram já para o lugar da prática e estão perto de anuttara-samyak-sambodhi ao sentarem-se sob a árvore do Buddhado. Ajita, onde quer que estes bons homens estejam, sentados, de pé ou circulando em exercício espiritual, aí deveria erigir-se uma torre memorial e todos os seres celestiais e humanos deviam oferecer esmolas da mesma forma que ofereceriam à torre do Buddha.”

Nessa altura, o Honrado Pelo Mundo, desejando expor uma vez mais o sentido das suas palavras, falou em verso, dizendo:

Se após eu entrar em extinção
Alguém puder honrar e eleger este sutra,
as suas bênçãos serão imensuráveis,
tal como acima descrevi.
É como se tivesse oferecido todo o tipo de esmolas,
erigindo uma torre memorial às relíquias do Buddha
adornada com os sete tesouros
e com o centro largo e alto
que se estreita gradualmente á medida que alcança o paraíso Brahma.
Sinos de jóias aos milhares,
dezenas de milhar, milhões,
movem-se no vento, emitindo um som maravilhoso.
E por imensuráveis kalpas
ele oferece esmolas a esta torre,
flores, incenso, vários tipos de colares,
mantos celestiais e instrumentos musicais variados,
queima óleos fragrantes e lâmpadas de óleo de manteiga
que iluminam constantemente as cercanias.
Na era maligna dos Últimos Dias da Lei
se existir alguém capaz de promover este sutra,
será como se tivesse oferecido
todas as esmolas acima descritas.
Se alguém puder promover este sutra,
será como se na presença do Buddha
ele tivesse usado sândalo
para construir como oferta aposentos de monges,
de trinta e dois salões
altos como árvores tala,
ou tivesse fornecido roupas e enxovais,
residências para assembleias de centenas, milhares,
jardins, bosques, tanques e lagos,
pátios de exercício e caves para meditação
tudo com vários tipos de delicados adornos.
Se alguém com uma mente crente e esclarecida
aceitar, promover, ler, recitar e copiar este sutra
ou fazer com que outros o copiem
ou oferecer esmolas aos rolos do sutra,
espalhando flores e incenso
ou queimar constantemente óleo fragrante
extraído de flores de sumana, champaka ou atimuktatka,
se ele oferecer esmolas como estas
ganhará imensuráveis méritos,
ilimitados como o céu aberto,
e assim serão as suas bênçãos.
Quanto mais se ele promover este sutra
e ao mesmo tempo oferecer esmolas,
mantiver os preceitos, for tolerante,
deleitar-se com a meditação
e nunca se entregar a qualquer linguagem malévola ou irada.
Se alguém prestar reverência às torres memoriais,
se comportar humildemente perante os monges,
não der lugar a uma mente arrogante,
ponderar constantemente sobre a sabedoria
e nunca se enfurecer quando questionado com perguntas difíceis
mas responder com uma explicação conforme –
se alguém levar a cabo estas práticas,
os seus méritos estarão além de qualquer medida.

Se virdes um mestre da Lei
que tenha cultivado virtudes como estas,
deveis espalhar sobre ele flores celestiais,
envolver o seu corpo em mantos celestiais,
saudá-lo inclinando a vossa cabeça perante os seus pés
e na vossa mente imaginar que estais a ver um Buddha.
Deveis também pensar desta forma:
“Não tardará que ele prossiga para o lugar da prática
e alcance o estado sem falhas da não-acção,
trazendo largos benefícios para os seres celestiais e humanos!”
No local onde essa pessoa residir,
onde ela caminhar, se sentar ou deitar,
ou recitar ainda que um verso de uma escritura,
aí devereis erigir uma torre adornada
de uma forma apropriada e maravilhosa
e oferecer-lhe variadas esmolas.
Quando um filho de Buddha reside em tais lugares,
o Buddha servir-se-á deles
e neles irá constantemente
caminhar, sentar-se ou reclinar-se.

2 thoughts on “Capítulo Dezessete: Distinção de Benefícios

  1. Thank you for the favorable writeup. The item the truth is used to be a new pleasurable consideration this. Appearance state-of-the-art to help much increased reasonable of your stuff! On the other hand, the way may all of us keep in touch?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.