Capítulo Vinte e Sete: Os Actos Passados do Rei Adorno Maravilhoso

Nessa altura o Buddha dirigiu-se à grande assembleia, dizendo: “Numa era longínqua, há um imensurável, ilimitado, inconcebível número de kalpas no passado, existiu um Buddha chamado Rei da Flor da Sabedoria da Constelação Som da Nuvem de Tempestade(Galadharagargitaghoshasusvaranakshatrarâgasankusumitâbhigña), Tathagata, arhat, samyak-sambuddha. A sua terra chamava-se Adorno de Luz Brilhante(Vairokanarasmipratimandita) e o seu kalpa chamava-se Alegremente Visto(Priyadarsana). Nesta era da Lei Búddhica existia um rei chamado Adorno Maravilhoso(Subhavyaha). A mulher do rei chamava-se Pura Virtude(Vimaladatta), e eles tinham dois filhos, um chamava-se Repositório Puro(Vimalagarbha) e o outro Olho Puro(Vimalanetra). Estes dois filhos possuíam grandes poderes sobrenaturais, mérito, virtude, sabedoria e durante muito tempo cultivaram a via apropriada a um Bodhisattva, levando a cabo a dana-paramita, shila-paramita, kshanti-paramita, virya-paramita, dhynana-paramita, prajna-paramita e a paramita dos meios expeditos, praticaram a piedade, a compaixão, a alegria e a indiferença, bem como os trinta e sete auxílios para a via(9). Tudo isto eles entenderam e dominaram completamente. Além disso, obtiveram os samadhis do bodhisattva, nomeadamente, o samadhi puro e os samadhis sol, lua e estrela, o samadhi constelação, o samadhi luz pura, o samadhi cor pura, o samadhi pura iluminação, o samadhi longo adorno e o samadhi da grande dignidade e virtude, eles aperfeiçoaram completamente todos estes samadhis.

“Nessa altura esse Buddha, desejando atrair e guiar o Rei Adorno Maravilhoso, e também por pensar com compaixão nos seres viventes, pregou o Sutra do Lótus. Os dois filhos do rei, Repositório Puro e Olho Puro, foram ter com sua mãe, juntaram as palmas das mãos e disseram-lhe, “Rogamos à nossa mãe que visite o lugar do Buddha Rei da Flor da Sabedoria da Constelação Som da Nuvem de Tempestade. Também nós iremos lá e, chegando próximos dele oferecer-lhe-emos esmolas e obediência. Porquê? Porque o Buddha está a pregar o Sutra do Lótus no meio da multidão de seres celestiais e humanos e é nosso dever escutá-lo e aceitá-lo.”

“A mãe anunciou aos seus filhos, “O vosso pai acredita em doutrinas não Budistas e está profundamente apegado à Lei Bramânica. Vós deveis ir ter com o vosso pai, falar-lhe acerca disto e persuadi-lo a ir convosco.”

“Repositório Puro e Olho Puro juntaram as palmas das suas mãos e disseram a sua mãe, “Nós somos filhos do Rei do Dharma, e apesar disso nascemos nesta família de ideias heréticas!”

”A mãe disse aos seus filhos, “Vós tendes razão ao falar com preocupação do vosso pai. Deveis manifestar algum poder sobrenatural para ele. Quando ele vir isso, a sua mente será decerto limpa e purificada e ele há-de deixar-nos ir até onde está o Buddha.”

“Os dois filhos, preocupados com o seu pai, elevaram-se no ar até à altura de sete árvores tala e executaram várias maravilhas sobrenaturais, andando, sentando-se e deitando-se em pleno ar; fazendo jorrar água da parte de baixo dos seus corpos, fazendo sair fogo da parte de cima dos seus corpos, manifestando corpos imensos que enchiam os céus e então tornando-se pequenos novamente, tornando-se depois outra vez enormes, desaparecendo no céu e aparecendo subitamente no chão; desaparecendo no chão como se fossem de água; andando na água como se fosse terra. Eles manifestaram todos estes vários tipos de maravilhas sobrenaturais de modo a tornarem pura a mente do seu pai, fazendo-o acreditar e compreender.”

“Nessa altura, quando o pai viu os seus filhos demonstrarem poderes sobrenaturais deste tipo, a sua mente ficou repleta de grande deleite, tal como ele nunca tinha sentido, e ele juntou as palmas das mãos, fitou os seus filhos e disse? “Quem é o vosso mestre? De quem é que vocês são discípulos?”

“Os dois filhos responderam, “Grande rei, o Buddha Rei da Flor da Sabedoria da Constelação Som da Nuvem de Tempestade está neste momento sentado no lugar do Dharma sob uma árvore bodhi de jóias, entre a multidão de seres celestiais e humanos de todo o mundo, e expõe largamente o Sutra do Lótus. Ele é o nosso mestre e nós somos seus discípulos.”

“O pai disse aos seus filhos, “Eu gostaria de ir agora ver o vosso mestre, podeis vir comigo.”

“Com isto os dois filhos desceram do ar, prosseguiram para onde se encontrava a sua mãe, juntaram as palmas das mãos e disseram-lhe, “O nosso pai já acredita e compreende, e está inteiramente capaz de conceber o desejo de anuttara-samyak-sambodhi. Nós completamos o trabalho do Buddha em prol do nosso pai. Rogamos à nossa mãe que nos permita ir ao lugar onde está o Buddha, abandonar a vida familiar e praticar a via.”

“Nessa altura os dois filhos, desejando expor uma vez mais o sentido das suas palavras, falaram em verso, dizendo a sua mãe:

Rogamos à nossa mãe
que nos permita deixar a vida familiar
e tornarmo-nos shramanas.
Os Buddhas são muito difíceis de encontrar;
nós seguiremos este Buddha
para aprendermos com ele.
Rara é a flor da udumbara,
mais raro é encontrar um Buddha,
e escapar das dificuldades é igualmente difícil –
pedimos-te que nos deixes abandonar a vida familiar.

“A sua mãe disse-lhes então, “Eu permitir-vos-ei deixar a vida familiar. Porquê? Porque o Buddha é muito difícil de encontrar.”

“Os dois filhos então dirigiram-se aos seus pais, dizendo, “Excelente, pai e mãe! Pedimo-vos também que vão prontamente ao lugar onde se encontra o Buddha Rei da Flor da Sabedoria da Constelação Som da Nuvem de Tempestade, se dirijam a ele e lhe ofereçam esmolas. Porquê? Porque encontrar um Buddha é tão difícil como encontrar a flor da udumbara. Ou tão difícil como uma tartaruga com um único olho enfiar o pescoço numa tábua com um orifício a flutuar no oceano. Nós fomos abençoados com uma grande boa fortuna de vidas anteriores e assim, nascemos numa era em que podemos encontrar a Lei do Buddha. Por esta razão o nosso pai e a nossa mãe devem deixar-nos abandonar a vida de família. Porquê? Porque os Buddhas são difíceis de encontrar, e a ocasião apropriada é também difícil de encontrar.”

“Nessa altura, as oitenta e quatro mil pessoas do pavilhão das mulheres do rei Adorno Maravilhoso foram capazes de aceitar e promover o Sutra do Lótus. O bodhisattva Olho Puro já tinha há muito tempo aperfeiçoado o samadhi da flor e o bodhisattva Repositório Puro há várias centenas, milhares, dezenas de milhares, milhões de kalpas, tinha-se aperfeiçoado no samadhi da fuga aos reinos malignos da existência. Isto porque ele queria tornar possível a todos os seres viventes escapar dos reinos malignos. A esposa do rei adquiriu o samadhi da assembleia dos Buddhas e foi capaz de entender o repositório secreto dos Buddhas. Os seus dois filhos, tal como foi já descrito, tinham empregue o poder dos meios expeditos para melhorar e transformar o seu pai para que ele obtivesse uma mente de fé e compreensão e amor e deleite na Lei do Buddha.”

“Então, o Rei Adorno Maravilhoso, acompanhado pelo seu séquito de ministros e secretários, a sua rainha Pura Virtude e todas as residentes e servas do pavilhão das mulheres, os seus dois filhos com os seus quarenta e dois mil serviçais, foi para o lugar onde se encontrava o Buddha. Ali chegados, inclinaram as suas cabeças até ao chão em obediência aos seus pés, andaram em volta do Buddha três vezes e depois retiraram-se, ocupando um lugar na assembleia.

“Nessa altura o Buddha pregou a Lei para o bem do rei, instruindo-o e trazendo-lhe benefício e alegria. o rei estava exultante.

“Nessa altura o Rei Adorno Maravilhoso e a sua rainha tiraram dos seus pescoços colares no valor de centenas de milhares e espalharam-nos sobre o Buddha. No meio do ar os colares transformaram-se num palanquim de jóias com quatro pilares. Nesse palanquim estava uma larga almofada de jóias coberta com centenas, milhares, dezenas de milhares de mantos celestiais. Sentado com as pernas cruzadas em posição de lótus estava um Buddha que emitia uma luz brilhante.

“Nessa altura o Rei Adorno Maravilhoso pensou para si mesmo: “O corpo do Buddha é verdadeiramente raro, extraordinário em dignidade e adorno, tomando uma forma de suprema subtileza e maravilha!” Então o Buddha Rei da Flor da Sabedoria da Constelação Som da Nuvem de Tempestade falou para os quatro tipos de crentes dizendo, “Vedes este Rei Adorno Maravilhoso que está à minha frente com as palmas das mãos juntas? No seio da minha Lei este rei tornar-se-á um monge, praticando diligentemente a Lei que favorece a via do Buddha. Ele será capaz de se tornar um Buddha. O seu nome será Rei Árvore Sal, a sua terra chamar-se-á Grande Luz e o seu kalpa Rei Grande e Altivo. Este Buddha Árvore Sal terá uma multidão imensurável de bodhisattvas, bem como incontáveis ouvintes. A sua terra será nivelada e suave. Tais serão os seus benefícios.”

“O rei imediatamente entregou o seu reino ao seu irmão mais novo e ele próprio, com a sua mulher, os seus filhos e todos os seus serviçais, no seio da Lei Búddhica renunciaram à vida doméstica e praticaram a via.

“Após o rei ter deixado a vida familiar, ele aplicou-se constante e diligentemente pelo espaço de oitenta e quatro mil anos, praticando o Sutra do Lótus da Lei Maravilhosa. quando este período de tempo passou, ele obteve o samadhi do adorno de todos os benefícios puros. Elevando-se no ar à altura de sete árvores tala, dirigiu-se ao Buddha dizendo: “Honrado Pelo Mundo, estes meus dois filhos levaram a cabo o trabalho do Buddha, empregando poderes transcendentais e transformações para afastar a minha mente das heresias, permitindo-me acolher-me com segurança na Lei do Buddha e fazendo com que eu visse o Honrado Pelo Mundo. Estes dois filhos foram bons amigos para mim. Eles quiseram despertar em mim as boas raízes das minhas existências passadas e enriquecer-me e beneficiar-me e por essa razão nasceram na minha casa.”

“Nessa altura o Buddha Rei da Flor da Sabedoria da Constelação Som da Nuvem de Tempestade, disse ao Rei Adorno Maravilhoso, “Assim é, assim é. É tal como disseste. Se bons homens ou boas mulheres tiverem plantado boas raízes e consequentemente, em existência após existência forem capazes de obter bons amigos, então estes bons amigos podem fazer o trabalho do Buddha, ensinando, beneficiando, deleitando e permitindo-lhes entrar em anuttara-samyak-sambodhi. Grande rei, deves compreender que um bom amigo é a grande causa e condição mediante a qual se é guiado e conduzido, e que torna possível ver o Buddha e conceber o desejo por anuttara-samyak-sambodhi. Grande rei, vês estes dois filhos? Estes dois filhos já ofereceram esmolas a Buddhas iguais em número às areias de sessenta e cinco centenas, milhares, dezenas de milhares, milhões de rios Ganges, aproximaram-se deles com reverência e na presença desses Buddhas aceitaram e promoveram o Sutra do Lótus, pensando com compaixão nos seres viventes que abraçam teorias heréticas e levando-os a aceitar as ideias correctas.”

“O Rei Adorno Maravilhoso desceu então do ar e disse ao Buddha, “Honrado Pelo Mundo, o Tathagata é de facto um ser raro! Devido aos seus benefícios e à sua sabedoria, o nódulo do topo da sua cabeça ilumina todos com luz brilhante. Os seus olhos são longos, largos e de cor azul escura. O tufo de cabelo entre as suas sobrancelhas, uma das suas características, é branco como uma lua de cristal. Os seus dentes são brancos, regulares, juntos e têm constantemente uma luz brilhante. Os seus lábios são vermelhos e belos como o fruto bimba.”

“Nessa altura o Rei Adorno Maravilhoso, tendo louvado desta forma as imensuráveis centenas, milhares, dezenas de milhar, milhões de benefícios, na presença do Tathagata juntou as palmas das mãos concentradamente e dirigiu-se uma vez mais ao Buddha, dizendo, “Honrado Pelo Mundo, nunca no passado se conheceu algo assim! A Lei do Tathagata é inteiramente dotada de inconcebíveis, subtis e maravilhosos benefícios. Onde os seus ensinamentos e preceitos forem observados existirá tranquilidade e sentimentos benéficos. De hoje em diante eu abandonarei as teorias heréticas e a arrogância, raiva ou qualquer outro estado mental negativo.”

“Quando acabou de dizer estas palavras, curvou-se aos pés do Buddha e partiu.”

O Buddha disse à grande assembleia: ”Qual é a vossa opinião? Será o Rei Adorno Maravilhoso desconhecido para vós? De facto ele não é senão o actual Bodhisattva Virtude da Flor. E a sua rainha Pura Virtude é o Bodhisattva Marcas do Adorno de Luz Brilhante(Vairokanarasmipratimanditarâga) que está agora na presença do Buddha. Por compaixão e piedade pelo Rei Adorno Maravilhoso e pelos seus serviçais, ele nasceu entre eles. Os filhos do Rei são os actuais Bodhisattvas Rei da Medicina e Medicina Superior.

“Estes bodhisattvas Rei da Medicina e Medicina Superior conseguiram já obter grandes benefícios como este, e na presença de imensuráveis centenas, milhares, dezenas de milhares, milhões de Buddhas plantaram numerosas raízes de virtude e adquiriram inconcebíveis benefícios. Se existirem pessoas que conheçam os nomes destes dois bodhisattvas, os seres celestiais e humanos de todo o mundo prestar-lhes-ão obediência.”

Quando o Buddha pregou este capítulo sobre os Actos Passados do Rei Adorno Maravilhoso, oitenta e quatro mil pessoas alcançaram o olho puro do Dharma, libertando-se assim da poeira e sujidade em relação aos vários fenômenos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.